segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Este não se decide!

"O mano é tão fofo, tão fofo! Gosto tanto dele mamã! Ele é a pessoa de quem eu gosto mais no mundo. Gosto até mais dele do que de mim." - diz-me o Gonçalo.

Nesse mesmo dia, à noite, ele pergunta-me:

"Mamã, o mano amanhã vai para a avó?"

"Sim, vai." - respondi.

"Vai lá ficar o dia todo?"

"Sim. Como vamos ao teatro e tudo, ele vai lá dormir."

"BOOOOA! FIXEEEE!!!!"

domingo, 22 de janeiro de 2017

Amizade

Uma das coisas que tento/ quero ensinar aos meus filhos, é que a amizade é dos bens mais preciosos da vida. Que os amigos, os verdadeiros, aqueles que nos ouvem, que estão sempre ao nosso lado, que não nos julgam, e que querem, genuinamente o nosso bem, podem salvar-nos. Literalmente.

Quero que eles percebam que a amizade não deve ser desvalorizada e que tem de ser alimentada e cultivada, tal como diz o sábio Principezinho.

É fundamental que eles percebam que uma boa amizade, daquelas verdadeiras, pode fazer a diferença entre conseguirmos ou não ultrapassar momentos menos bons. De conseguirmos ou não nos manter sãos e com um sorriso nos lábios, mesmo quando a vida nos dá poucos motivos para sorrir.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Feeling blessed!

No meio da bagunça que anda a minha vida, há dias "tropecei" no melhor cenário do mundo. Do meu mundo.

Os meus filhos estavam sentados à mesa, a ver uma série cómica de animação, e riam os dois com gosto. Com alegria. O Francisco com um ar super malandro e o Gonçalo com aquela carinha de reguila. Ali estavam eles, felizes e cúmplices. E eu senti, no mais fundo do meu ser, que só tenho de me sentir abençoada <3

Onde é que me fui meter!

Numa conversa com o Gonçalo deixei escapar demasiada informação: disse-lhe por onde saíam os bebés (é o que dá estar a falar com ele e, ao mesmo tempo, estar a fazer mais mil coisas).

O que é que eu fui dizer?!

O rapaz ficou intrigadíssimo em saber como é que as coisas se tinham passado. Eu bem tentei desviar o assunto como pude, até que lhe disse que era melhor explicar-lhe quando ele fosse mais crescido, para que pudesse entender.

Ele calou-se uns segundos e disse:

"Ahhh! Já sei. O pipi explodiu!"

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Coisas do outro mundo (ou então, simplesmente, coisas de quem tem filhos pequenos)

Esta noite, estava eu a dormir profundamemnte (coisa rara nos últimos tempos), quando acordei sobressaltada com um uma voz estridente a dizer: "Oláááá! Escolhe uma letra!"

Era um brinquedo do Francisco que se ligou sozinho! Vocês não estão a ver o cagaço que apanhei!

sábado, 14 de janeiro de 2017

O mais querido do mundo e arredores

"Mamã, esta noite tive um pesadelo muito mau!" - disse-me o Gonçalo, num tom dramático.

"Foi amor? Queres contar-mo?" - perguntei.

"Uns maus vieram cá a casa e depois tornaram-me invisível." - começou ele a contar.

"Ahhh... mas olha que isso até pode ter o seu lado bom."

"Pois pode, mas se eu fosse invisível, como é que me davas abracinhos e beijinhos?"

(derreti!!! <3 <3 <3)

Se ele o diz...

Estava a vestir o Francisco, depois do banho, quando percebi que ele tinha uma ferida no braço. Perguntei-lhe como tinha feito aquilo e ele começou a falar lá na língua dele (normalmente, só eu, o pai e os avós é que o percebemos. Mais eu). Mas, desta vez, não estava a perceber. Ele, como viu isso, começou a apontar para o culpado. Tinha sido o Ted.

O Ted é aquele urso do filme. Temos um Ted de peluche, que é do tamanho do Francisco, e ele disse que tinha sido o Ted, com o pé. E repetiu esta versão várias vezes.

(eu desconfio que a história está mal contada, mas...)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Temos de falar sobre eletrodomésticos

O Francisco precisa de uma lição urgente sobre a utilidade de alguns eletrodomésticos lá de casa.

Ontem à noite, agarrou na loiça dele de jantar, pratos, talheres e copo, e vai de pôr tudo na máquina de lavar roupa! E depois ficou, descontraído da vida, como se tivesse feito a coisa mais normal do mundo!




Que saudades disto! (NOT)

Com dois filhos pequenos, é mais que natural que as manhãs não sejam propriamente fáceis. Sobretudo quando o mais velho tem de estar na escola às 8h30. É uma verdadeira corrida contra o tempo, porque já se sabe que os miúdos têm um ritmo próprio e há que contar com os imprevistos. Seja como for, as nossas manhãs até têm sido bastante pacíficas. Sempre a correr, sim, mas pacíficas.

Hoje, e para matar saudades, houve gritos, ralhetes, choro e ameaças de castigos... foi o bolo completo! O que vale é que durou 10 minutos e depois já estava tudo tranquilo mas, mesmo assim, não tinha saudades nenhumas disto!

Arquivo do blogue

Seguidores